O Sentimento é a razão da vida em nós


O sentimento é a razão da vida em nós.

No plano em que nos encontramos, nós evoluímos pelo aprimoramento do sentimento.

Aqui, no Planeta Terra, nosso desafio maior é o de amadurecer nossas emoções e desenvolver o sentimento.

A emoção é do corpo emocional e explode no corpo físico como uma onda de energia que sobe a partir do chakra sexual até o cérebro envolvendo nossos sentimentos e pensamentos. Por isso, quase sempre cometemos gafes ou atos violentos quando tomados por emoção descontrolada.

O sentimento é do corpo espiritual e se irradia na alma pelo chakra cardíaco, pelo coração. Daí irradia-se a compaixão e o senso da razão, dentre os vários outros sensos da alma.

Emoção é da nossa natureza animal, que se aprimora pela nossa humanização em sentimento de compaixão.

Sentimento é da nossa natureza espiritual e se aprimora na medida que amadurecem as nossas emoções transformando-se em compaixão.

O amor está acima de tudo, e não é nem emoção nem sentimento - é frequência mental que eleva a emoção ao sentimento de compaixão.

O maior entrave à nossa evolução é o medo. E medo também não é uma emoção - é a mais baixa frequência mental, que leva a emoção aos patamares da reação, em defesa, ataque ou fuga, congelando o sentimento.

Na escala evolutiva, a frequência mental mais baixa é a do medo e a mais elevada é do amor, e nós oscilamos o tempo todo entre medo e amor, aprendendo a nos relacionar uns com os outros.

A mente, em baixa frequência é calculista, racional e medrosa; em elevada frequência é intuitiva, abstrata e espiritual, vibrando no amor.

Nós ainda confundimos relacionamento com amor, gostar com amar e emoção com amor. São expressões humanas que vislumbram o amor; são espasmos de amor ainda contaminados de apego e medo.

O pensamento é o diretor da vida; por ele, nós escolhemos a vida que queremos viver.

O pensamento escolhe a emoção e o sentimento que queremos expressar e dosa sua expressão na medida certa ao momento e ocasião.

A razão surge no equilíbrio entre emoção, sentimento e pensamento. 

Luìz Trevizani - 25/01/2017