Sidebar Menu

Um momento de solidão, quando compreendido traz percepções interiores das mais valiosas. Essa solitude, que não carece de companhias, nem se traduz por depressão, e o contato íntimo e amoroso com a sombra emergente, transforma significados e liberta traumas mantidos nas memórias encobertas por mágoas e frustrações, medos e vergonhas, raivas e ódios do passado. O erro, cometido por quase todos, é lutar contra a sombra, quando, do mesmo modo, essa luta reforça ainda mais o seu poder aturdente.

O mundo está se transformando. As novas tecnologias da informação e os novos modelos de comunicação estão dispondo de intensa possibilidade de crescimento e independência social e cultural.  Chegou a hora de romper com os velhos sistemas que criam uma desmedida desigualdade e descontentamento para celebrar o compartilhamento e a abundância dos recursos gerados pela nova inteligência humana, do novo mundo que veio para ficar. 

A paz é a pacificação interior de cada ser humano. É por ela que as suas pendências emocionais, seus conflitos interiores e suas dificuldades podem ser resolvidas e vem do verdadeiro perdão e do saber amar incondicionalmente. O perdão verdadeiro é o ponto de partida para a paz. Ele, em seu verdadeiro significado, é trilhado pela libertação dos laços que nos prendem aos erros do passado e da libertação das amarras com as quais mantemos aprisionados por culpar aqueles que nos afligem. Enquanto houver culpa, não haverá perdão.

Ao nos apegarmos à pequenez da nossa realidade materializada, esquecemos do potencial que tem a nossa mente. A mente é um campo de energia e consciência, de flutuações de sentimentos, pensamentos e emoções. É um campo de informação e energia inteligente.

Todo sofrimento humano decorre da ideia de separação. A crença de que somos individualidades separadas umas das outras está gerando todos os tipos de conflitos, confusões, guerras e doenças na humanidade. Mas, o verdadeiro significado para a individualidade é que somos apenas uma unidade dentro de um todo. E quando esta unidade acredita ser um indivíduo separado do todo, surge medo, insegurança, ansiedade, depressão, angústia, solidão, violência e sofrimento.