Imprimir
Categoria: Artigos

Parece que uma parte da humanidade está caindo no buraco negro da estupidez e da idiotização, sem se darem conta disso. Literalmente, estamos diante da possibilidade de escrevermos a nossa história da maneira mais sórdida que nos envergonhará no futuro, nas próximas gerações.

Feminismos, liberalidades (não confunda com liberdade), radicalismos, politicamente correto, homofobias diversas, ataques contra a diversidade, um projeto de nivelamento de todos por baixo, pelo pior dos nossos instintos.

Um movimento crescente de radicalismos estúpidos se avoluma e se impõe como normatização dos comportamentos e nivelamento do pensamento individual, num retrocesso que nos confronta com o pior da animalidade, numa coletivização irracional.

Tudo em nome da liberdade. Mas o que é liberdade, afinal?

A liberdade que se impõe é escravidão. E a pior escravidão é aquela que se confunde com a liberalidade na busca pela satisfação dos desejos e instintos primários.

A liberdade igualitária é subterfúgio para subtrair do ser humano a sua individualidade, que lhe consagra a verdadeira liberdade sob o manto da responsabilidade, da moral e da ética.

A liberdade igualitária coletiva é ditadura disfarçada de democracia. O ser humano é dominado e escravizado pelos excessos, insinuando que ele é livre. Desde que seja um idiota é claro.

O problema dessa liberdade igualitária é que você não pode mais ser você mesmo, não pode mais opinar pela sua própria razão, não pode mais se comportar do seu jeito e não pode mais usar certas expressões de linguagem que foram banidas sumariamente do nosso contexto, por normatizações, leis e decretos estapafúrdios, sob o risco de ir para numa delegacia de polícia.

Para onde você está indo? – Para onde escolhe ir, seguindo a manada ou sendo você mesmo e despertando para se tornar consciente de si.

A sua liberdade é o mais sagrado direito à sua individuação, única maneira possível de evolução. Não confunda individuação com individualismo egoísta.

Parece que o mais sagrado de nós e da vida está em vias de ser profanado da pior maneira que se possa imaginar; num retrocesso que nos custará enormes sacrifícios de regeneração. Pense nisso! 

Luìz Trevizani – 31/01/2020