Sidebar Menu

Parece que uma parte da humanidade está caindo no buraco negro da estupidez e da idiotização, sem se darem conta disso. Literalmente, estamos diante da possibilidade de escrevermos a nossa história da maneira mais sórdida que nos envergonhará no futuro, nas próximas gerações.

Assim como uma faca pode ser perigosa, ou não, dependendo do seu manejo e uso, o ego humano também pode ser útil ao bem maior, como pode se tornar causa de queda moral do ser humano quando ele é o centro dos desejos inferiores. O ego é importante parte na estruturação da personalidade, tem função importante como referência na autoestima, mas também serve de alavanca para o egoísmo quando a consciência está imersa no pântano das ilusões.

A humanidade amadurece no coração do ser humano que se humaniza, e o ser humano humanizado pensa antes de falar; ele examina cada palavra e seu tom antes de pronunciá-la; caso ela possa ferir os ouvidos de quem a escuta, ele se cala até conseguir alcançar a nota que dá harmonia à palavra. O coração sente, a mente racionaliza, a palavra leva a mensagem do coração e da mente – “Onde está o teu coração, ali está o teu tesouro”.

Numa vida sem sentido, anoitece e amanhece sucessivamente a mesma rotina repetitiva dos mesmos eventos, e nada de novo acontece; as circunstâncias dominam a vontade e o ser humano se torna escravo de desejos e fantasias. Aquilo que é no presente está enraizado no passado e nós, frequentemente, lutamos contra aquilo que não podemos mudar e nada fazemos para mudar a nossa posição diante do imutável.

A criança de hoje será o adulto de amanhã. Isso todos nós sabemos. A questão a ser pensada é, como será esse adulto amanhã? A boa nutrição alimentar da criança formará seu corpo saudável. A boa nutrição emocional e afetiva, o bom exemplo e a boa instrução intelectual formarão o seu caráter ético e generoso.  Porquanto a nutrição alimentar deficiente forma um corpo frágil e vulnerável aos ataques dos vírus e das bactérias, a falta de nutrição emocional e afetiva forma o caráter egoísta e destrutivo.